Archive for the ‘Curioso’ Category

Mas como passou rápido o ano, não? Tá bom, sei que é um clichê básico dizer isso, mas garanto que muitos concordaram comigo. Pesquisando nos googles da vida encontrei uma explicação até que convincente para tal fenômeno. Vejam:

Por que o tempo passa rápido? (texto de Benito Pepe, do site Planeta News)

Isto é apenas uma conseqüência da percepção, da observação, da rotina em que vivemos. A sensação do tempo depende de nossa vida e das experiências vivenciadas. A nossa mente sente o tempo passar através dos movimentos percebidos, das observações, ou da rotina e isto é computado em nosso cérebro de forma similar ao computador que entra em uma página da internet pela primeira vez de forma mais lenta e depois de “conhecer” o caminho “carrega” mais rapidamente a página da próxima vez. Assim quando vivemos uma nova experiência a vivemos mais lentamente, ela parece mais demorada, ela é mais observada mais percebida pois nosso cérebro precisa apreender as novas informações os novos caminhos. Outro exemplo facilmente compreensível é propriamente os caminhos para uma viagem de automóvel. Normalmente quando vamos pela primeira vez a algum lugar distante nos parece mais longe do que quando vamos várias vezes depois. Isto ocorre porque o cérebro a primeira vez estava com mais atenção e observando tudo à sua volta, o caminho as placas etc. Quando já sabemos o caminho de “cor e salteado” não nos preocupamos com detalhes, assim nos “distraímos” com outras coisas e quando vemos já chegamos ao destino.

Chego à conclusão, então, que estou numa rotina lascada. Porque pra mim 2010 voou! Nesta semana peguei a lista de objetivos deste ano e posso dizer que cumpri 60%. E o restante? Porque não cumpri? Falta de tempo, responderiam todos. Ou seria uma leve preguiça de assumir um compromisso a longo prazo…ou então a falta do dinheiro para fazer tal curso…ou tudo isso junto.

Para 2011 minha meta é arrumar mais tempo. É fazer coisas novas que oxigenem meu cérebro, deixar minhas sinapses soltas, esquecer que existe televisão (emburrece pra caramba), encontrar mais os amigos, não deixar nada para o dia seguinte.

E vocês, quais os objetivos para 2011?

Desejo muita paz e saúde a todos! Que 2011 passe lentamente, para que possamos aproveitar cada segundo dele!

Por Cristiane Tavares

Só quem recebe sabe. Só quem sente entende. O amor pode sim ser representado através de atitudes e gestos simples. Eu tenho a prova de que existem pessoas que se amam e fazem tudo por amor. Sei também que não é fácil demonstrar todo esse amor o tempo inteiro, mas quando é verdadeiro essa demonstração se torna natural.
Tão natural que posso ver em meu esposo gestos de muito amor.
Ao acordar ele me enche de beijos, me leva aos melhores lugares, compra tudo o que pode para agradar, oferece toda a sua ajuda para cuidar da casa e sua disposição para me ouvir. Se importa com o bem-estar de meus familiares e é solícito em qualquer circunstância.
Fácil, não deve ser porque eu não sou nenhum anjo, porém quando existe amor…

Tire as suas próprias conclusões.

Acho que sentir medo é comum, natural e saudável. Entretanto creio que a incapacidade de não poder reagir ou fazer qualquer coisa que seja para mudar a situação é ainda mais apavorante. E o mais frustrante de tudo é sentir medo depois de ter dado a “deixa”, ou seja, de ser gentil e amável com as pessoas. Neste mundo atual é impossível praticar a simpatia, sem ser taxado de tarado ou mesmo de mulher fácil.

A mente e o coração estão cada vez mais contaminados com a promiscuidade e a lascívia. Confiança? Onde foi mesmo que essa palavra se perdeu? Porque quando alguém a pratica, em seu real sentido, pode sofrer graves consequências. Mas pra quê pensar em você mesmo? Qual o sentido de se amar tanto? Acho que porque eu acredito no que a bíblia diz, como a verdadeira palavra de Deus, e lá diz que é pra eu amar o meu próximo como a mim mesmo. Difícil fazer isso!

Palavras, palavras e somente palavras. Imagine um mundo em que as palavras ditas são cumpridas religiosamente, como destino. Não sei se seria melhor, mas pelo menos seria mais verdadeiro, ou então todos pensariam mais e melhor antes de falar.

Pronto, falei!

Por vezes me pego querendo escrever, sei lá, talvez para desabafar algo que nem faz sentido falar. Talvez pressionada pelo olhar crítico de toda uma sociedade crítica, não escreva mais.

A desilusão de um mundo que imaginava enfrentar está a cada dia mais me deixando frustrada, na verdade o mundo, formado por pessoas, me desapontam demais. Só é possível confiar nos nossos pais, e ainda com ressalvas aos pais que nos abandonam, mesmo sendo nós ainda bebês. Amigos? Onde estão? Quem são? Como deveriam agir? É uma raça em extinção, que não se encontra em lugar algum. E nem adianta procurar muito, senão você pode encontrar, no máximo, um colega de trabalho ou de escola oportunista.

A única conclusão que chego de tudo isso, é que o individualismo, causado pelo gelo, já tomou conta de quase 100% do coração. Pra quê me preocupar com os outros? Quem disse que preciso fazer esse esforço? Deus disse isso! Mas quem é Deus? No que ele pode me favorecer? Se for me dar algo, eu quero me achegar a esse Deus. Infelizmente as igrejas estão lotadas de pessoas que pensam dessa forma, e não importa a religião, importa a vantagem que tenho se fizer tal coisa.

Enfim, tudo se resume a dinheiro, status, ser ovacionado pelas outras pessoas, que na verdade você nem se importa se estão bem, só se estão te seguindo no twitter ou dando RT de um de seus posts. Aliás, as redes sociais são os novos vírus dessa geração, e os sintomas dessa doença são individualismo exacerbado, esfriamento do contato físico, incompreensão das falhas humanas, paciência inexistente e uma autoestima altíssima, dependendo do número de seguidores e amigos no orkut.

Por vezes meu comportamento é totalmente web 3.0 e outros dias incorporo a geração babyboom, até porque venho da geração X, que nasceu sem computador e cresceu precisando dessa máquina que, mesmo sendo tão útil, traz a internet que nos levou ao caos que hoje se instalou.

Posso estar exagerando intitulando essa geração como caos, mas hoje estou assim, down e preciso encontrar um culpado. Se não tenho GPS ou Wi-Fi no meu celular, estou alienada, se não acesso a internet todos os dias, pertenço às cavernas, se não conheço ou não sei manipular um iPhone, estou na era jurássica. Não sei se quero esse mundo pra viver, mas não tenho escolha…

Existem cinco estágios em uma carreira profissional de sucesso:

O primeiro estágio é aquele em que o funcionário precisa usar crachá, porque quase ninguém na empresa sabe o nome dele.

No segundo estágio, o funcionário começa a ficar conhecido dentro da empresa e seu sobrenome passa a ser o nome do departamento em que trabalha. Por exemplo, Eduardo de Contas a Pagar…

No terceiro estágio, o funcionário passa a ser conhecido fora da empresa e o nome da empresa se transforma em sobrenome: Eduardo da Empresa Tal.

No quarto estágio, é acrescentado um título hierárquico ao nome dele: Eduardo, Diretor da Empresa Tal.

Finalmente, no quinto estágio, vem a distinção definitiva. Pessoas que mal conhecem o EDUARDO passam a se referir a ele como “O meu amigo DUDA”, Diretor da Empresa Tal’. Esse é o momento em que uma pessoa se torna, mesmo contra sua vontade, um “amigo profissional”.

Existem algumas diferenças entre um amigo que é amigo e um amigo profissional. Amigos que são amigos trocam sentimentos. Amigos profissionais trocam cartões de visita.

Uma amizade dura para sempre. Uma amizade profissional é uma relação de curto prazo e dura apenas enquanto um estiver sendo útil ao outro.

Amigos de verdade perguntam se podem ajudar. Amigos profissionais solicitam favores. Amigos de verdade estão no coração. Amigos profissionais estão numa planilha.

É bom ter uma porção de amigos profissionais. É isso que, hoje, chamamos networking, um círculo de relacionamentos puramente profissional. Mas é bom não confundir uma coisa com a outra. Amigos profissionais são necessários. Amigos de verdade, indispensáveis…

Algum dia – e esse dia chega rápido… – os únicos amigos com quem poderemos contar serão aqueles poucos que fizemos, quando amizade era coisa de amadores, e não de profissionais.

Etiquetas: ,

Que princípio é este?
Os 10% da vida estão relacionados com o que se passa com você, os outros 90% da vida estão relacionados com a forma como você reage ao que se passa com você.

O que isto quer dizer?
Realmente, nós não temos controle sobre 10% do que nos sucede. Não podemos evitar que o carro enguice, que o avião atrase, que o semáforo fique no vermelho. Mas, você é quem determinará os outros 90%.

Como?
Com sua reação.

Exemplo:
Você está tomando o café da manhã com sua família. Sua filha, ao pegar a xícara, deixa o café cair na sua camisa branca de trabalho. Você não tem controle sobre isto. O que acontecerá em seguida será determinado por sua reação.

Então, você se irrita. Repreende severamente sua filha e ela começa a chorar. Você censura sua esposa por ter colocado a xícara muito na beirada da mesa. E tem prosseguimento uma batalha verbal.

Contrariado e resmungando, você vai mudar de camisa. Quando volta, encontra sua filha chorando mais ainda e ela acaba perdendo o ônibus para a escola. Sua esposa vai pro trabalho, também contrariada. Você tem de levar sua filha, de carro, pra escola. Como está atrasado, dirige em alta velocidade e é multado. Depois de 15 min de atraso, uma discussão com o guarda de trânsito e uma multa, vocês chegam à escola, onde sua filha entra, sem se despedir de você.

Ao chegar atrasado ao escritório, você percebe que esqueceu sua maleta. Seu dia começou mal e parece que ficará pior. Você fica ansioso pro dia acabar e quando chega em casa, sua esposa e filha estão de cara fechada, em silêncio e frias com você.
Porquê? Por causa de sua reação ao acontecido no café da manhã.

Pense: porquê seu dia foi péssimo?

A) por causa do café?
B) por causa de sua filha?
C) por causa de sua esposa?
D) por causa da multa de trânsito?
E) por sua causa?

A resposta correta é a E . Você não teve controle sobre o que aconteceu com o café, mas o modo como você reagiu naqueles 5 minutos foi o que deixou seu dia ruim.

O café cai na sua camisa. Sua filha começa a chorar. Então, você diz a ela, gentilmente: “está bem, querida, você só precisa ter mais cuidado”. Depois de pegar outra camisa e a pasta executiva, você volta, olha pela janela e vê sua filha pegando o ônibus. Dá um sorriso e ela retribui, dando adeus com a
mão.

Notou a diferença? Duas situações iguais, que terminam muito diferente. Por quê? Porque os outros 90% são determinados por sua reação.

Aqui temos um exemplo de como aplicar o Princípio 90/10.

Se alguém diz algo negativo sobre você, não leve a sério, não deixe que os comentários negativos te afetem
Reaja apropriadamente e seu dia não ficará arruinado.

Como reagir a alguém que te atrapalha no trânsito? Você fica transtornado? Golpeia o volante? Xinga? Sua pressão sobe?
O que acontece se você perder o emprego? Por quê perder o sono e ficar tão chateado? Isto não funcionará. Use a energia da preocupação para procurar outro trabalho.
Seu vôo está atrasado, vai atrapalhar a sua programação do dia. Por quê manifestar frustração com o funcionário do aeroporto? Ele não pode fazer nada. Use seu tempo para estudar, conhecer os outros passageiros. Estressar-se só piora as coisas.

Agora que você já conhece o Princípio 90/10, utilize-o. Você se surpreenderá com os resultados e não se arrependerá de usá-lo. Milhares de pessoas estão sofrendo de um stress que não vale a pena, sofrimentos, problemas e dores de cabeça.

Por: Stephen Covey